Orientações à família da criança que gagueja


Identificando o problema - A fala: A fala se desenvolve durante os três primeiros anos de vida da criança. Entre 2 e 5 anos é comum a criança apresentar algumas dificuldades na emissão de palavras com sons mais difíceis, podendo chegar às vezes a hesitar na hora de falar e/ou a repetir algumas sílabas ou palavras.

A disfluência normal: acontece de vez em quando. A criança repete uma ou duas vezes sílabas ou palavras ou hesita antes de falar como se estivesse buscando dentro da cabecinha a palavra certa para usar. Todos os falantes apresentam disfluências desse tipo durante a vida. Elas são tão naturais que nem os falantes nem os ouvintes percebem que tal fato acontece o tempo todo.

As disfluências leves: surgem quase sempre. A criança repete sons ou sílabas mais de duas vezes, ou pode apresentar prolongamentos – duração exagerada de um som. Pode evidenciar tensões leves no pescoço, no rosto ou em volta da boca, ou mudanças na intensidade da voz. Algumas vezes parece estar faltando o ar para que ela consiga falar. Essas ocorrências duram um período de tempo – não mais de 6 meses – e depois desaparecem.

As disfluências graves: ocorrem sempre, em quase todas as situações de comunicação. A criança gagueja em mais de 10% da sua fala. Os bloqueios – demorar a conseguir falar ou soltar de repente um som que parece estar preso – são mais comuns do que as repetições de sílabas ou prolongamentos de sons. Apresenta esforço e tensão para falar, podendo associar à fala movimentos faciais e/ou corporais.

Orientações Cada criança é uma criança, cada família é uma família, portanto não existem receitas de “como fazer”. As sugestões que serão apresentadas estão diretamente relacionadas com a promoção da fluência e da interação comunicativa.

Como ajudar

  • Prestar mais atenção ao conteúdo do que a criança está falando do que à forma com que ela o faz

  • Ajudar a falar mais suavemente

  • Parar um segundo ou mais antes de responder

  • Reservar um tempo, diariamente, para dar atenção exclusiva à criança

  • Encorajar a criança a falar sobre sua gagueira com vocês

  • Fornecer à criança um modelo apropriado de fala

  • Ler ou contar histórias sempre que possível

  • Favorecer a expressão verbal dos sentimentos

  • Promover um ambiente familiar de conversação não competitivo

  • Lembrar a criança que as dificuldades são naturais à fala de qualquer pessoa

  • Manter contato de olho natural enquanto a criança está falando

  • Encorajar a criança a falar

Prestar atenção aos efeitos das ações e estar sempre pronto a fazer ajustes no modo de agir e nas expectativas, ao notar que isso é uma necessidade.

O que prejudica a fluência

  • Dizer à criança para ela relaxar, acalmar-se ou pensar antes de falar

  • Chamar a criança de gaga

  • Criticar ou corrigir a fala da criança

  • Completar o que a criança está falando ou interrompê-la enquanto o faz

  • Apressar a criança quando ela estiver tentando

  • Preocupar-se demasiadamente com a gagueira

  • Falar muito rápido e de forma “difícil”

  • Gritar com a criança quando ela gaguejar

  • Tornar desagradáveis as atividades do dia a dia

  • Fazer a criança se sentir envergonhada ou diminuída

  • Forçar a criança a falar em público

  • Comparações desnecessárias

  • Pressionar a criança com muitas atividades

  • Superproteger a criança

  • Exigir demais da criança

Material elaborado com base no livro: Gagueiras Infantis

Miriam A. Goliger

Fonoaudióloga

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook - Grey Circle
  • Grey Instagram Icon
  • Twitter - Grey Circle

R. Emílio de Menezes, 76 - conj 53 / 54 - Higienópolis - SP 

telefones: (011) 3662.0747 / (011) 99173.1726